A Importância da Família na Construção da SEXUALIDADE de Crianças e Adolescentes

Sexualidade - Zoelma Lima - Maceió - Alagoas

A família é um bem valioso, é verdadeiramente o alicerce de uma sociedade. A educação de um filho é um projeto de vida com a finalidade de prepará-lo para a ética, a responsabilidade, autonomia de comportamento, a independência financeira e a tão almejada felicidade.
Mas não está nada fácil para os pais e educadores lhe darem com a precocidade de crianças e adolescentes de hoje. Pois vivem uma realidade globalizada, informatizada e lutam por ser cada dia mais independentes do que os de um passado bem recente.
Mesmo com tanta evolução, mudanças de comportamento e necessidade de auto-conhecimentos mais profundos…ainda nos deparamos com adultos que pararam no tempo e continua em pleno século XXI, limitando-se a perceber sua sexualidade com medos , preconceitos e tabus. Para muitos falar de sexualidade remete imediatamente ao ato sexual ou a genitalidade apenas. Contudo a sexualidade vai muito mais além, nasce conosco e a levamos até o nosso ultimo suspiro de vida. É linda, saudável, necessária e quanto mais tranqüila e serena for, mais seguros, saudáveis e felizes seremos. É ainda a mais bela forma de expressão dos afetos, uma maneira de  nos descobrirmos e assim descobrirmos  os outros. Sexualidade é a energia que impulsiona para a vida e nos motiva a encontrar o amor e a intimidade, não podemos nos esquecer disso.
Muitas vezes, os problemas ou dificuldades de ordem sexual são construídos, desencadeados e sofrem grande influência da família. São relacionados aos: valores, conceitos, regras e princípios morais frente ao sexo. Concordo plenamente com a educação de liberdade vigiada, pois nossas crianças e adolescentes estão completamente expostos a erotização precoce na mídia (televisão) e internet.  Sabemos que a falta de informação, o preconceito, a imagem negativa do sexo e os conceitos distorcidos acerca de sexualidade, por fazerem parte da cultura, atingem direta ou indiretamente cada um de nós. Portanto, a educação sexual transmitida e recebida na família, de geração para geração, é “contaminada” por grande parte destes fatores, o que costuma trazer sérias conseqüências para o comportamento e vida sexuais de seus membros.
A família que ama, que acolhe e que cuida é a mesma que reprime e pune manifestações sexuais e que prega o sexo como algo pecaminoso, feio, ameaçador e proibido. Como não acreditar nisso, se são regras e conceitos transmitidos por pessoas tão importantes e significativas para nossa vida (avós, pais, tios)?
Estas mensagens “repressoras” veiculam-se de diferentes formas, por exemplo: “sexo é errado, não deve ser feito por pessoas direitas”, ou “quem faz sexo é desrespeitado e denigre a própria imagem” e ainda “não quero que você namore”; “você não devia pensar nestas coisas…”; “o que você estava fazendo com seu namorado?”; “tome muito cuidado!”; “não vá fazer bobagem!”, ou ameaçam com frases do tipo: “se eu te pegar de novo com aquele(a) menino(a)… nem sei do que sou capaz!”.
Esse tipo de colocação não explica nada e cria um obstáculo altíssimo, fecha as portas da comunicação, impedindo um contato saudável, rico em descobertas e troca de afeto. As crianças não nascem psicologicamente prontas, nós pais “adultos” somos os primeiros exemplos de amor, emoções e limites.
Estes são apenas alguns exemplos possíveis de como a educação sexual, muitas vezes, vem ocorrendo nos mais diferentes contextos familiares. Um outro modelo muito comum de educação sexual é o relacionado à omissão. Sofrendo a influência destes modelos, muitas pessoas vão absorvendo mensagens diretamente relacionadas ao sexo, como algo prejudicial, ameaçador e que traz sofrimento. Temos aí, a raiz (origem) de grande parte dos problemas sexuais que acometem as pessoas. Como tais pessoas podem se permitir uma vida sexual tranqüila e prazerosa?  Ou seja, em muitas famílias, não se fala de sexo, este parece não existir ou não fazer parte da condição humana.
Uma sociedade bem resolvida e informada à cerca da própia sexualidade, gera seres humanos mais seguros, saudáveis e felizes com eles mesmos e com todos que estão ao seu lado.
Precisamos repensar tudo isso, pode até parecer difícil, mas não é impossível e o resultado é maravilhoso, pois estaremos participando ativamente e sem medos de um dos aspectos mais importantes da vida, nossa sexualidade.
É necessário que, cada um de nós se distancie destes modelos prejudiciais, para que possamos criar nosso próprio modelo, pautado em valores e conceitos que favoreçam a aquisição de prazer e responsabilidade na vida sexual. Falar abertamente de sexualidade cada vez que a criança ou o adolescente pergunta, não é de forma alguma antecipar sua vida sexual. Muito pelo contrário, quando bem informados, deixam de ser presas fáceis para pedófilos, aprendem a perceber o assédio sexual e deixam de ser vítimas de abusos.
O modelo ideal de educação sexual não deve ser rígido, estagnado ou autoritário. Deve, sim, respeitar as etapas de desenvolvimento do ser humano, sem antecipar absolutamente nada, mas respondendo tudo. Entendendo o sexo como algo inerente a este processo e contribuir para a construção de uma vida sexual intensa e sem vítimas.
Simplesmente porque você é a pessoa mais importante do mundo e jamais desejará ter uma cumplicidade negativa com o passado…Especial beijo no coração.

Dicas de leituras para pais, educadores e qualquer pessoa que vivencie o dia a dia de crianças e adolescentes, e que têm a missão de educá-los e orientá-los sexualmente.
*ADOLESCÊNCIA O DESPERTAR DO SEXO
*SEJA FELIZ MEU FILHO
(Ambos do Médico e Psicodramatista Içami Tiba)
BOA LEITURA E SUCESSO AOS BEM INTENCIONADOS E APAIXONADOS POR SEUS JOVENS.

7 Respostas para “A Importância da Família na Construção da SEXUALIDADE de Crianças e Adolescentes”


  1. 1 Anônimo

    Que filhos lindos Zoelma, Deus te abençõe sempre! Parabéns pela matéria, toda família deveria ler e praticar!!! Adoro seu site, visito toda semana…
    Grande beijo, Rose

  2. 2 Neide

    Sou avó de 03 netinhos e lider da pastoral da criança
    e gostaria muito fazer palestas com familhas soubre sexualidade.

  3. 3 hELAINE rOSENDO

    Parabéns! Adorei o texto, suas idéias estão de acordo com o realmente acredito de fato em relação a educação e orientação sexual de nossas crianças!!!

    Ah deixa eu me apresentar, estou no sétimo periodo do Curso de pEDAGOGIA e realizei meu tcc (Trabalho de Conclusão de curso) nessa temática, devido a isso, que acredito, compreendo e estou de acordo com seu texto, que por sinal está brilhante!!

    Abraço, Helaine Rosendo

  4. 4 Isabela

    Olá Zoelma, ótimo artigo viu? Isso é o que toda família deveria exercer em seus lares, afinal, é na família que nos descobrimos, nos conhecemos e nos corrigimos. Gostei muito mesmo, estarei dando uma palestra para um grupo de jovens de uma paróquia em Salvador, e essa matéria abriu um pouco mais meus conhecimentos,parabéns!

  5. 5 Edson

    achei mto interessante Joelma…..
    estou preparando encontros da Hora da Família e seu texto vai ser um bor reforço pra mim enriquecer ainda mais………..
    um abraço…..

  6. 6 Rafaela

    adorei o artigo , fantastico , parabens .

  7. 7 ariosvaldo

    FAMILIA SEXO E ADOLECENCIA AFINAL DE CONTA OQUE É ISSO EXPLICAREI..
    FAMILIA TODOS NÓS SABEMOS OQUE É, TEM SEU MOMENTO DE ALEGRIA PAZ CRÍTICAS E TUDO MAIS ADOLESCENCIA, REBELDES GRÁVIDEZ E MUITO MAIS
    sexo quem não gosta ou não faz sexo todos nós mas sexo, tem que ser usado de maneira correta e todos nós sabemos como devemos se previnir estamos no século 21 e não no século 15 16 e 19 que não existiam preservativos e as pessoas não tinham explicações de médicos e pais ..
    familia sexo e adolescencia coisas muito séria…
    deixem cada um seus comentários eu já deixei o meu …AFINALL DE CONTA O TEXTO É MUITOOOOO ÓTIMO ADOREII PARABÉNS QUEM O CRIOU…CONTINUE CRIANDO MUITOS E MUITOS MAIS….

Deixe seu comentário